AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Sabia que dor de cabeça pode ser sinal de aneurisma cerebral? Entenda

O aneurisma pode ser assintomático, mas o primeiro sintoma após o rompimento é uma dor de cabeça intensa

Da redação Publicado em 21/09/2023, às 08h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Quer saber o que a dor de cabeça quer dizer no aneurisma cerebral? Confira a explicação de um especialista - Cookie_studio / Freepik
Quer saber o que a dor de cabeça quer dizer no aneurisma cerebral? Confira a explicação de um especialista - Cookie_studio / Freepik

Sabia que dor de cabeça pode ser sinal de aneurisma cerebral? Setembro é o mês de Consciência doAneurisma Cerebral, e os especialistas nesta área buscam informar o público sobre a doença. A seguir, entenda sobre a condição!

O aneurisma cerebral é uma doença que causa a dilatação da parede das artérias cerebrais, formando uma protuberância ou bolsa, que pode se encher de sangue e aumentar de tamanho ao longo do tempo. A principal preocupação com os aneurismas cerebrais é o risco de ruptura, o que pode causar uma condição potencialmente fatal associada a sangramento no pequeno espaço existente ao redor do cérebro.

O aneurisma pode ser desencadeado por uma fragilidade da parede das artérias, e nem sempre sabemos exatamente a causa. Contudo, fatores como hipertensão e tabagismo aumentam o risco da sua ruptura.

Principais sintomas

Apesar de poder ser assintomático, o neurocirurgião Bruno Burjaili diz que o aneurisma pode desencadear uma série de sintomas que merecem atenção, como uma dor de cabeça extremamente intensa, e súbita, ou seja, que surge 'de uma hora para a outra'.

"Isso deve ser avaliado de imediato no pronto-atendimento, pois pode ser um aneurisma que rompeu. Outros sintomas podem ser crises convulsivas, desmaios e perda repentina da fala ou da força muscular", o especialista afirma.

Tratamento

O médico salienta que, se o aneurisma foi descoberto casualmente, em um exame do crânio, sem que a pessoa tivesse sintomas, são avaliadas algumas de suas características para saber se existe um risco alto de sangramento. "Pode ser o caso de quem tem parentes de primeiro grau com história de aneurismas rotos”, ressalta.

Já no caso mais grave, ele adverte: "Quando ele é diagnosticado após a ruptura, o tratamento é obrigatório e urgente, seja por cateterismo cerebral ou por cirurgias abertas".

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!