AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Acompanhe a jornada da perda capilar e busca de confiança com tratamento: “Tinha vergonha”

Recuperando a autoestima por transplantes capilares como revolução psicológica para mulheres com perda capilar

Redação Publicado em 24/08/2023, às 19h30

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Recuperando a autoestima por transplantes capilares - Reprodução
Recuperando a autoestima por transplantes capilares - Reprodução

A perda capilar, frequentemente vista como um problema estético, pode ter um impacto profundo na autoestima e bem-estar emocional das mulheres. A forma como o cabelo molda a identidade e a expressão de pertencimento a diferentes grupos sociais é inegável. Conversamos com uma paciente que passou por essa experiência para entender como a perda de cabelo afeta as mulheres e como os transplantes capilares podem ser uma abordagem significativa para restaurar os fios e a autoestima.

A paciente principal, que prefere não ser identificada, compartilhou suas experiências sobre como a perda capilar afetou sua vida. "Desde criança eu sempre tive entradas e isso foi um ponto que sempre me incomodou muito", disse ela. A perda de cabelo, mesmo sendo um problema comum, pode ter um profundo impacto na autoestima. A paciente mencionou que as entradas afetaram sua confiança, levando-a a evitar atividades específicas que envolviam prender o cabelo.

Situações em que a perda capilar afetou sua confiança e interações sociais não faltaram. "Nunca entrei em piscina junto com turma de amigos, porque tinha vergonha do cabelo, pois ao molhar apareceriam as entradas", explicou ela. A perda capilar também influenciou suas escolhas de atividades, como a não continuidade em ballet e ginástica, já que essas atividades demandavam penteados que evidenciavam ainda mais as áreas afetadas.

A JORNADA PARA A RECUPERAÇÃO CAPILAR

A paciente considerou várias abordagens para lidar com a perda capilar, até descobrir os transplantes capilares. "Não conhecia essa possibilidade e a técnica, se não, eu teria feito muito antes", disse ela. Foi ao conhecer as experiências do especialista Baltazar Sanabria que decidiu que era o momento de investir na restauração capilar. 

"A queda de cabelo tem um impacto diretamente na qualidade de vida do paciente", destacou o Dr. Sanabria. A perda capilar muitas vezes leva a sentimentos de vergonha e insegurança, afetando a interação social e a autoimagem.

A recuperação capilar não se trata apenas de restaurar os fios perdidos, mas também de resgatar a autoestima e a autoimagem. "Com certeza, o transplante capilar faz o paciente recuperar a autoestima, a segurança e o empoderamento", afirmou o Dr. Sanabria. "Isso vai levar o paciente a ter uma qualidade de vida maior, porque ele vai gostar de se olhar no espelho, de vestir uma roupa bonita, e isso consequentemente trará um ganho de qualidade de vida." A abordagem psicológica também é fundamental, com acompanhamento multidisciplinar que pode incluir psicólogos e psiquiatras para lidar com os impactos emocionais da perda capilar.

Os procedimentos de transplante capilar, como a técnica FUE (Follicular Unit Extraction), não apenas restauram os fios perdidos, mas também rejuvenescem a autoestima e a confiança das pessoas, permitindo que elas enfrentem o mundo com um novo nível de segurança e bem-estar emocional.

O PAPEL DO PSIQUIATRA NA JORNADA DE RECUPERAÇÃO

O psiquiatra Alexandre Valverde entrevistado trouxe uma perspectiva valiosa sobre o impacto psicológico da perda capilar. Ele destacou como o cabelo vai além de uma mera questão estética, sendo um componente crucial na construção da autoimagem e da autoestima. "O cabelo é a parte do nosso corpo que a gente tem maior possibilidade, capacidade de modular, de mexer, de mudar. Isso serve como instrumento de expressão, de linguagem e comunicação de características do nosso ser", enfatizou o psiquiatra.

Ele ressaltou que a perda de cabelo pode ter implicações profundas nas emoções e na psicologia dos pacientes. "Mudanças na perda do cabelo, da consistência, da textura, do aspecto, do formato, do volume, da quantidade, pode levar a uma questão bastante profunda, sofrimento bastante grande, porque a pessoa fica privada de tudo isso que o cabelo pode significar para ela", explicou.

O psiquiatra também abordou como a percepção da própria aparência afeta a interação social e a confiança. Ele ressaltou que "a pessoa pode se sentir muito mais ansiosa na lida com as pessoas que pertencem a esse grupo, que pertencem a esse circuito social que ela gostaria de frequentar e se colocar ali." Isso revela a importância de sentir-se parte de um grupo e como a perda capilar pode impactar negativamente essa experiência.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!